Geral

 
 
A população de Morretes e da Antonina conheceu na última segunda-feira (7) o cronograma de obras e as ações do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER) para recuperar a Estrada da Graciosa. O vice-governador, Flávio Arns, e técnicos do DER explicaram como será a construção da ponte, feita em concreto, e que permitirá a liberação do tráfego na região. Um trecho da rodovia foi destruído em 13 de março por conta das fortes chuvas. O diretor-geral do DER, Nelson Leal Junior, disse que a obra terá duas etapas. Ele explicou a comerciantes e lideranças políticas locais que, até junho, será concluída meia-pista da Estrada da Graciosa, liberado o trânsito de veículos leves. Após essa fase, o DER estima que até o início do segundo semestre de 2014 toda a obra será concluída. “O DER trabalha contra o tempo para que essas obras sejam feitas da maneira mais eficaz e segura para que a população possa transitar pelo local, movimentando o comércio e turismo da região”, disse Leal Junior. 
 
O diretor-geral do DER explicou que a melhor solução é uma estrutura definitiva porque o local do desastre é estreito e cheio de curvas. “Não há como colocar uma ponte provisória neste ponto, como as usadas pelo Exército”, disse. Para construir a ponte será preciso fazer antes o trabalho de fundação, para colocação dos pilares e das cabeceiras. Depois, peças de concretos serão montadas para dar sustentação à ponte. Na etapa seguinte serão colocados os paralelepípedos em cima da estrada, recuperando as características originais da Graciosa. 
Além das explicações técnicas da obra, foram discutidas ações conjuntas entre prefeituras, comerciantes e o Governo do Paraná para atrair os turistas e visitantes para Morretes e Antonina. “Tanto governo como as prefeituras vão apoiar toda ação que promova uma divulgação positiva para alavancar a economia da região. O Governo do Paraná vai trabalhar para promover atividades nas áreas de cultura, turismo e esporte para apoiar a população”, disse o vice-governador, Flávio Arns. 

Em 70 dias, o governo do Estado, através do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), vai liberar, pelo menos uma pista, da Estrada da Graciosa para o tráfego de veículos. A boa notícia foi dada pela diretoria do órgão, durante audiência pública no Cine Theatro de Morretes, com a presença do vice-governador, Flávio Arns, do prefeito de Morretes, Helder Teófilo dos Santos e do prefeito de Antonia, João Domero. O prefeito Helder explicou às autoridades do governo, inclusive com participação da Defesa Civil, o drama vivido pelos moradores e comerciantes da Estrada da Graciosa que há mais de 20 dias estão sem vender seus produtos em função da queda da barreira que interditou a estrada. Helder entregou ao vice-governador uma pauta de reivindicações do município que pede, entre outras coisas, a imediata recuperação da estrada, benefícios da Copel para os moradores da região, crédito subsidiado para os comerciantes, liberação, pela Caixa Econômica do FGTS e campanha publicitária mostrando os atrativos turísticos de Morretes e Antonia. Presentes na audiência pública, donos de restaurantes, pousadas e do próprio comércio da Graciosa, também fizeram suas reivindicações ao governo do Estado. O governo tem um prazo de 180 dias para liberar por completa a Estrada da Graciosa. Segundo o DER, uma empresa de construção já está no local para agilizar os serviços e, se precios, vão trabalhar em dois turnos: dia e noite.

 

Deputado Paranhos, presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, informa o prefeito de Morretes, Helder Teófilo dos Santos, que serão instaladas três Estações Rádio Base – Antenas de Telefonia Celular. Portanto, até o mês de setembro, o município terá ampliado a captação de sinal via celular móvel. A decisão faz parte do plano de expansão apresentado pela TIM. Para o prefeito, a medida é muito boa para o município e aos moradores de Morretes que a cada dia ampliam seus sistemas de comunicação.

Em Morretes, começam os preparativos para uma das maiores festas agrícola e artesanal do litoral paranaense: Festa Feira. As festividades terão início no dia 30 de abril e terminarão dia 11 de maio, com mostras de produtos agrícolas, artesanato, floricultura e gastronomia. O prefeito de Morretes, Helder Teófilo dos Santos espera a participação de mais de 100 mil turistas, além da comunidade local. Esta é a mais importante e tradicional festa do município. Estarão à disposição dos turistas, várias opções de artesanatos em bambu, cipó imbé, fibra de bananeira e sementes. Na agricultura e na agtroindústria são mostradosfrutas, verduras, palmitos, conservas, compotas, bala de bana e de gengibre, entre outros.

Técnicos do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), geólogos da Mineropar e representantes do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) se reuniram nesta terça-feira (18) para definir o cronograma de obras e também os custos necessários para a recuperação da rodovia. 

A estimativa do DER-PR é investir R$ 5 milhões entre obras e projeto na implantação do viaduto, na altura do quilômetro 10, onde houve o desmoronamento. A previsão é ter o projeto no prazo máximo de um mês e fazer a obra em até quatro meses. 

“Os estudos preliminares indicam que a construção do viaduto é a alternativa mais viável. No entanto, somente após a contratação do projeto executivo será possível estabelecer se não há outra opção que seja mais barata e também mais rápida para executar a reconstrução da estrada”, disse o superintendente regional do DER-PR, Sérgio Moreira Gomes. 

Entre as dificuldades encontradas pelos técnicos do DER-PR estão a topografia e também a limitação de tráfego de veículos pesados na Estrada da Graciosa. O peso excessivo poderia provocar outros afundamentos ao longo da rodovia, obrigando uso de maquinário de menor porte, o que poderia alterar o cronograma da obra e também a execução dos trabalhos. 

No trecho onde ocorreu o desabamento da barreira, na altura do quilômetro 12, as equipes do DER-PR terminaram nesta terça-feira (18) a retirada do material. Nesta quarta-feira (19), será feito um estudo mais aprofundamento deste local, para verificar se não há pontos com trincas ou rachaduras que possam ainda comprometer a rodovia. Caso não haja nenhum risco, a proposta do DER-PR é fazer um muro, que vai permitir segurar as pedras do morro e evitar outros desabamentos. 

O DER-PR vai aguardar, nos próximos dias, a elaboração do decreto de emergência pela prefeitura de Morretes, que será encaminhado ao Governo do Paraná para homologação. Somente após o reconhecimento deste decreto pela União, o DER-PR poderá executar a contratação de projeto e também das obras em regime emergencial. Com este decreto, o prazo limite para a conclusão da obra e projeto é de 180 dias, a contar do dia 13 de março. 

 

Volta ao início da Página